E aí pessoal, tudo bem? Hoje trago para vocês a resenha de um clássico da literatura mundial: Crime e Castigo, livro de Dostoiévski. Vamos direto ao ponto? Confira na íntegra!

Crime e Castigo: a grande obra de Dostoiévski

Crime e Castigo, novela do gênero drama psicológico, foi escrita pelo autor russo Fiódor Dostoiévski e publicada pela primeira vez em 1866. A alienação social é o tema principal, personificada no protagonista, Raskolnikov. A psicologia do criminoso, o medo, a culpa e como estes sentimentos atuam como o verdadeiro castigo, é sobre isso que Dostoiévski nos fala.

Os homens vulgares deviam viver na obediência e não têm direito a infringir as leis, pelo próprio fato de serem vulgares. Mas os extraordinários têm direito a cometer toda a espécie de crimes e a infringir as leis de todas as maneiras, pelo próprio fato deserem extraordinários”.

A atitude de Raskolnikov, que se crê uma pessoa extraordinária, uma espécie de “super-homem”, acima das leis e da moral vigente, aparece como causa de sua alienação social, e é essa atitude que o induz de certo modo ao comportamento criminoso. Também é possível afirmar que ao compor seu protagonista, o autor condenava o niilismo.

Vamos falar um pouco sobre a vida do autor. Dostoievski viveu em Moscou até os dezessete anos, quando o pai lhe enviou à Academia Militar de São Petersburgo. Logo abandonou a carreira militar e se dedicou à Literatura. Sua primeira novela, publicada em 1846, trazia uma grande inovação ao gênero: acrescentava a dimensão psicológica à pura narrativa em sua análise dos conflitos do protagonista, observando-os desde seu interior. Sua carreira foi interrompida em 1849. Dostoiévski se uniu a um grupo de jovens intelectuais russos que liam e debatiam as ideias de escritores socialistas franceses, obras proibidas na Rússia Czarista de Nicolau I. O grupo foi preso e Dostoiévski sentenciado a quatro anos de trabalhos forçados na Sibéria. Ao retornar a São Petersburgo após esse período, retomou sua carreira literária. O autor se viu praticamente arruinado após a morte da mulher, e do irmão, em 1864, de quem as dívidas deixadas ele precisou quitar. Dostoievski passou os anos seguintes fora da Rússia, para escapar de seus credores. Foi durante esse período que terminou de escrever Crime e Castigo. Quando voltou a Rússia, em 1873, já era um escritor internacionalmente renomado.

RESUMO DA HISTÓRIA

O jovem estudante Raskolnikov leva uma vida de escassez, morando num pequeno quarto alugado em São Petersburgo. Raskolnikov arquiteta um plano: matar e roubar Alyona Ivanova, velha usurária, acreditando que o crime é justificável. O crime é consumado, não só o homicídio da velha usurária, com um machado, mas também o de sua meia irmã, Lizaveta, que havia testemunhado o crime. O jovem rouba alguns pertences e foge, chocado com o que fora capaz de fazer. Os assassinatos têm uma grande repercussão na cidade e a cada vez que o crime é mencionado, o rapaz tem estranhas reações. Raskolnikov começa a vivenciar uma verdadeira tortura mental e a apresentar um comportamento paranoico que ruma à loucura. Numa visita de sua mãe e sua irmã, Dunya, ele recebe a notícia de que a irmã fora demitida do emprego como governanta por resistir ao assédio do antigo patrão. Dunya se casará com em breve com um modesto pretendente, para ajudar a família. O irmão de Dunya está em meio a delírios provocados pela culpa na ocasião em que conhece seu pretendente e se recusa a permitir o casamento. Raskolnikov conhece Porfiry, detetive que cuida do caso do assassinato das duas anciãs e este começa a suspeitar do estranho comportamento do jovem. A pressão sobre o protagonista só aumenta quando o ex patrão da irmã, Svidrigailov, descobre a verdade sobre o crime e começa a chantageá-lo. Raskolnikov confessa o crime a Sonya, jovem com quem vem se relacionando, e ela o aconselha a se entregar à polícia. O protagonista confessa seu crime e é condenado a oito anos de prisão na Sibéria.


O ator Ed Porter interpretando Raskolnikov em uma das inúmeras adaptações teatrais da obra.

Algumas ideias sobre o trabalho com o livro em sala de aula

  • O livro pode ser utilizado no 9º ano do Ensino Fundamental II e no Ensino médio, em aulas de História, Língua Portuguesa e Literatura.
  • Há de se considerar que se trata de uma leitura relativamente longa, embora a linguagem seja acessível.
  • Sabemos que no Brasil existem distintas realidades na Educação, e em certos contextos trabalhar com essa obra pode parecer quase impensável, tendo em vista fatores que vão desde a falta de interesse propriamente dita por parte dos alunos até suas deficiências no campo da leitura e interpretação textual.
  • Quando tais problemas estão presentes, é ainda mais importante insistir em apresentar aos alunos uma obra de inquestionável valor como Crime e Castigo, e aqui vão algumas sugestões para lidar com as eventuais dificuldades:
  • caso o problema seja a deficiência dos alunos no domínio da leitura, sugerir a leitura por capítulos, debatendo posteriormente em sala de aula. Nesse caso o debate servirá tanto para que os alunos possam compartilhar suas impressões quanto para esclarecer possíveis dúvidas no que diz respeito à interpretação do texto.
  • Devemos ressaltar que essa linha pode ser seguida tanto numa abordagem do ponto de vista da História quanto da Língua Portuguesa e da Literatura. Bem, um projeto interdisciplinar é sempre uma boa opção, especialmente nesse caso.
  • Em relação ao que deve ser abordado na obra, esperamos que essa resenha seja uma fonte de inspiração: pode-se partir de uma contextualização que apresente um pouco da vida do autor e do contexto histórico em que o livro foi escrito, sua inserção na história da literatura e a exploração dos principais temas presentes na trama. Cada professor saberá estabelecer o recorte a ser trabalhado.

Além dos já referidos debates em sala de aula, uma boa opção para a exposição do que foi trabalhado por parte dos alunos, e que inclusive pode servir como avaliação, são as apresentações orais, os chamados “seminários”, individuais ou em grupo. Esse tipo de exposição permite ao aluno não somente apresentar aos demais colegas e professores suas conclusões, como também são um excelente exercício de expressão oral, uma habilidade que precisa ser exercitada em todos os segmentos do ensino e que muitas vezes é negligenciada.

PRINCIPAIS PERSONAGENS

Raskolnikov- Protagonista da novela, inclusive a história é contada exclusivamente do seu ponto de vista. Seu nome deriva da palavra russa “raskolnil”, que pode ser traduzida como “dividido”. Desdenha a humanidade e se crê parte de uma elite “sobre-humana”.

Sonya- Moça tímida e devotada à família, a ponto de se prostituir para sustenta-la. Ilustra importantes questões políticas e sociais abordadas por Dostoiévski, como gênero, os efeitos da pobreza e a importância da fé religiosa.

Dunya- Irmã de Raskolnikov, com quem mantém uma relação de amor e respeito mútuos. É o personagem feminino mais forte da novela.

Consiste tudo em que tu, pelo visto, supões que me entregam a alguém, e com algum fim, na qualidade de vítima. Mas não é assim, de maneira nenhuma. Eu me caso, simplesmente, seguindo a minha inclinação, porque se me torna desagradável continuar solteira; além do mais, não há dúvida nenhuma de que me considerarei feliz se puder depois ser útil aos meus (…)”

Svidrigailov-Personagem ambíguo, exibindo ora um comportamento violento, chegando à tentativa de estupro contra Dunya, ora demonstrando generosidade e compaixão.

SIMBOLOGIA

A cidade – Na obra, São Petersburgo representa o barulho, a sujeira, a degradação material e moral, enfim, o caos.

Na rua fazia um calor sufocante, ao qual se juntavam a aridez, os empurrões, a cal por todos os lados, os andaimes, os tijolos, o pó e esse mau cheiro peculiar do verão, conhecido de todos os petersburgueses que não possuem uma casa de campo”.

A cruz- A cruz que Sonya dá a Raskolnikov antes de ele ir à polícia confessar seu crime é um importante símbolo da redenção do protagonista. O fato de a cruz ser dada por Sonya tem um significado especial: ela se doa para traze-lo de volta a humanidade e seu amor irá salva-lo e renová-lo, num paralelo com Jesus Cristo, na tradição cristã.

 Alguns motivos para ler esse livro com seus alunos

  • É um clássico mundial.
  • Aborda importantes questões éticas e morais.
  • Possibilita uma abordagem histórico-literária.
  • Oferece um desafio aos alunos, já que é uma leitura de maior fôlego.
  • Crime e Castigo foi inspiração para diversos filmes, que podem complementar a leitura.

WEB

 Crime e Castigo – Dostoiévski – Episódio 1 – BBC 2002 – Legendado em Português-https://www.youtube.com/watch?v=IFuQ4RmMFFU

Entrevista: Elena Vássina, professora de letras russas da Universidade de São Paulo, conversa com Ederson Granetto sobre Crime e Castigo.
https://www.youtube.com/watch?v=I-lut0uU3eM

Documentário – Crime e Castigo-
https://www.youtube.com/watch?v=uYxlh_IwbuM

Vamos desenhar o nosso corpo para o verão? Super campanha para quem quer emagrecer por um preço digno de verão: 47,00 REAIS! Clique aqui! COMPRE AGORA: EBOOK + 6 BÔNUS + LISTA VIP do ZAP + LISTA VIP do FACE

A Dieta é composta por um e-book com instruções de reeducação alimentar, 6 bônus e uma Lista Vip de Transmissão no WhatsApp onde as meninas recebem dicas e instruções para seguir a dieta e Grupo VIP de Membros no Facebook onde são postadas as dúvidas, refeições e elas são motivadas, tudo isso para as meninas que comprarem.

O produto foi exatamente pensado em pessoas que não possuem muito tempo, estão insatisfeitas com o peso atual e desejam uma forma objetiva e pratica de seguirem uma reeducação alimentar para emagrecerem de forma saudável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.