Olá pessoal, hoje iremos abordar a renomada história de amor escrita há séculos pelo autor inglês William Shakespeare. Quando falamos de amor romântico mesmo em um cenário nada propício é simplesmente impossível não recordar-se do clássico Romeu e Julieta. Acompanhe na íntegra:

Romeu e Julieta: como trabalhar com esta obra em sala de aula

É difícil falar de Shakespeare e de Romeu e Julieta sem ser repetitivo, tendo em vista que a peça foi escrita há mais de 400 anos e desde então vem sendo objeto de inumeráveis estudos, não restritos a área de Literatura.  William Shakespeare, dramaturgo inglês do final do século XVI e início do século XVII é considerado um dos maiores escritores de todos os tempos, tido por alguns como principal referência na literatura ocidental.

“Vir depois de Shakespeare, que escreveu a melhor prosa e a melhor poesia na tradição ocidental, é um destino complexo, uma vez que a originalidade se torna singularmente difícil em tudo que mais importa: a representação de seres humanos, o papel da memória no conhecimento, o alcance da metáfora na sugestão de novas possibilidades na linguagem. São excelências particulares de Shakespeare, e ninguém o igualou como psicólogo, pensador ou retórico”.[1]

[1] BLOOM, H. O cânone ocidental. Tradução de Marcos Santarrita. Rio de Janeiro: Objetiva, 1995.p-19

Shakespeare retrato romeu e julieta 5095973RETRATO DE SHAKESPEARE, PINTADO POR GERARD SOEST 20 ANOS APÓS A MORTE DO AUTOR.

Shakespeare (1564-1616) nasceu em Stratford-Upon-Avon, Inglaterra. Filho de um próspero comerciante, não se sabe ao certo se recebeu educação formal. Se casou com uma mulher mais velha, Anne Hathaway, e com ela teve três filhos. Por volta de 1590 deixou a família e foi para Londres trabalhar como ator e escritor de peças teatrais. O sucesso veio logo, tornando-se o principal dramaturgo da Inglaterra, o favorito de Elizabeth I e James I.

O principal tema da peça é a força do amor. Mas aqui o amor é violento, extasiante, uma força onipotente que se sobrepõe a todos os valores, lealdades e emoções.  Uma emoção poderosa, brutal, que captura os indivíduos e os catapulta contra o seu mundo, e, às vezes, contra eles mesmos. A violência também permeia toda a trama, sempre atrelada à paixão, embora a paixão seja amor ou ódio. O amor de Romeu e Julieta os leva a quebrar regras: eles seguem se encontrando mesmo sabendo que suas famílias são rivais, Romeu entra às escondidas na casa de Julieta para vê-la e volta a cidade depois de ser banido quando recebe a notícia da morte da amada. Pode-se dizer que o conflito de interesses entre o individual e o social também é um dos grandes temas subjacentes à história. No tocante à simbologia da trama, a poção é um elemento que merece destaque. Frei Lorenzo ressalta que cada planta, cada raiz e cada pó possuem propriedades específicas, e tudo que existe na natureza pode ser usado para bons ou maus fins. A poção simboliza a tendência humana de transformar coisas boas em armas letais.

RESUMO DA HISTÓRIA

Na cidade de Verona existem duas famílias rivais, os Montecchio e os Capuleto. Os dois únicos descendentes de cada uma das famílias, Romeu Montecchio e Julieta Capuleto, se conhecem numa festa na casa dos Capuleto (na qual Romeu entrou disfarçado e com a intenção de encontrar Rosaline, moça por quem estava interessado). Os dois se apaixonam perdidamente e se encontram às escondidas. Com a ajuda de Frei Lorenzo, o casal se casa numa cerimônia secreta. Pouco depois do casamento, Mercutio, melhor amigo de Romeu, morre não mãos do primo de Julieta, Teobaldo. Para vingar a morte de Mercutio, Romeu mata Teobaldo e é expulso da cidade. A família de Julieta, que desconhece seu matrimônio, anuncia que ela se casará em breve com Paris. Frei Lorenzo arquiteta um plano: no dia do casamento, Julieta beberá uma poção que a fará parecer morta, ela será levada ao mausoléu de sua família onde se encontrará com Romeu. Julieta coloca o plano em prática, é dada como morta e lavada para o mausoléu da família. Romeu fica sabendo da morte de Julieta antes que a mensagem de Frei Lorenzo contando sobre o plano chegue até ele. Romeu compra um frasco de veneno e regressa a Verona para morrer ao lado do corpo de sua amada. No cemitério, Romeu encontra Paris, os dois lutam e Paris acaba morto. Romeo bebe o veneno e morre ao lado de Julieta, que ainda se encontra sob o efeito da poção. Julieta acorda e Frei Lorenzo lhe explica o ocorrido. Julieta se suicida com o punhal de Romeu. A tragédia sela a paz entre os Montecchio e os Capuleto.

ALGUMAS IDEIAS PARA TRABALHAR O LIVRO EM SALA DE AULA

  • O livro pode ser usado no 8º e 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio, nas disciplinas: Língua Portuguesa, Literatura, História, Filosofia e Artes.
  • Certamente todos os alunos já ouviram falar sobre a história de Romeu e Julieta, muitos provavelmente já viram alguma de suas muitas adaptações para o cinema ou mesmo referências presentes em séries de televisão e telenovelas. Isso é um ponto positivo, pois conhecer o texto original de uma história que já é de certa forma familiar desperta uma curiosidade natural.
  • O fato ser uma história de amor entre jovens também tem forte apelo temático para os alunos dessa faixa etária.
  • Numa abordagem histórica, primeiramente deve-se abordar o contexto histórico no qual a obra e o autor se inserem. É possível trabalhar a questão da literatura como fonte histórica e sugerir aos alunos que durante a leitura da obra prestem especial atenção aos elementos que forneçam informações sobre o modo de vida na época em que a trama se passa, fazendo todas as ressalvas pertinentes.
  • Para todas as disciplinas, uma opção é propor aos alunos uma leitura dramática. Cada estudante fica responsável por ler as falas de determinado personagem e, dessa forma, além de garantir a leitura em sala das cenas mais importantes, o professor ao mesmo tempo está desenvolvendo a criatividade e habilidade de improvisação dos alunos.
  • O livro também oferece diversas opções de atividades em produção textual. Ao optar por esse tipo de atividade, que pode incluir desde o resumo da obra até uma análise histórico-literária, o professor tem de lidar com um problema: por ser uma obra tão amplamente difundida e estudada, também abundam, sobretudo na internet, materiais que os alunos podem usar não apenas como referência na hora de compor seu texto, e sim parafraseá-los, o popular “pegar um trabalho na internet”. Este é um problema que atinge todos os professores, em todas as disciplinas e segmentos do ensino. Apresentar o livro de uma forma que realmente motive os alunos em lê-lo pode ser mais eficaz do que as ferramentas de detecção de plágio (que também são muito úteis).
  • Romeu e Julieta teve várias adaptações para o cinema que podem complementar a leitura da peça.

PRINCIPAIS PERSONAGENS

Romeu- Representa o arquétipo do jovem apaixonado: ousado, intenso, capaz de matar e morrer pela mulher amada.

Julieta- No início da trama, aparenta um comportamento tímido e submisso em relação a família, mas o amor por Romeu desencadeia uma verdadeira metamorfose que a transforma numa mulher capaz de apunhalar o próprio coração ao perder o ser amado

Mercutio- O melhor amigo de Romeu se destaca pela sagacidade, apresentando sempre intervenções críticas e contundentes. Seu nome provavelmente é uma referência ao deus da comunicação, Mercúrio.

Frei Lorenzo- Personagem central na articulação da trama e cercado por mistérios. Representa a religião. Sua intenção de usar o amor entre Romeu e Julieta para dar fim ao conflito civil em Verona denota sua faceta política. Seu conhecimento místico (é ele quem prepara a poção que faz Julieta parecer morta) é incompatível com função de religioso católico. A dúvida se a tragédia da morte dos dois jovens se decorreu de uma falha no plano ou era parte dele não é esclarecida.

WEB