Medicina alternativa

Talvez você já tenha ouvido falar em medicina alternativa, modalidade que faz uso de medicamentos no combate às doenças. No entanto, muitas pessoas têm dúvidas sobre seus conceitos e objetivos.

Medicina alternativa

Pensando nisso, trouxemos alguns esclarecimentos sobre essas formas de terapias medicamentosas. Confira a seguir.

Alopatia

Sistema mais conhecido para uso de medicamentos dentro da medicina tradicional ou convencional. Em sua prática, são usados medicamentos que produzem efeitos contrários aos da doença tratada, procurando conhecer sua etiologia e combater suas causas.

Mesmo sendo a prática médica oficial do país, é preciso se atentar aos seus riscos devido à toxidade dos medicamentos alopáticos caso seu uso seja feito de forma indiscriminada.

Homeopatia e a Medicina alternativa

Reconhecida oficialmente pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) como especialidade médica, trata doentes com doses muito diluídas de substâncias cuja ação, em doses maiores, provoca os mesmos sintomas da doença a ser tratada.

Medicina alternativa

Sendo uma alternativa contrária à alopatia, a homeopatia trata a doença com medicamentos que possuem substâncias que causam os mesmos sintomas que a doença produz, objetivando fazer com que o corpo atinja um nível de equilíbrio sem haver comprometimento fisiológico. Além disso, a homeopatia defende a tese de que o indivíduo deve ser medicado de acordo com as características de sua personalidade.

É importante ressaltar que as práticas alternativas não possuem comprovação científica, bem como não possui disciplinas envolvendo as formas alternativas nas grades dos cursos de Medicina. Levando em consideração o que foi dito sobre a não comprovação científica, entende-se que a prática de medicina alternativa não pode ser realizada por um médico, tendo essa proibição especificada na Resolução nº 1 .499/98 do Conselho Federal de Medicina.

Art. 1º – Proibir aos médicos a utilização de práticas terapêuticas não reconhecidas pela comunidade científica.

Art. 2º – O reconhecimento científico quando ocorrer, ensejará Resolução do Conselho Federal de Medicina oficializando sua prática pelos médicos no país.

Art. 3º – Fica proibida qualquer vinculação de médicos a anúncios referente a tais métodos e práticas.

Com isso, também é válido pontuar que os riscos envolvendo a medicina alternativa existem, visto que podem causar efeitos colaterais, podendo agravar ainda mais o quadro da doença, principalmente caso esteja sendo tomado mais de um tipo de medicamento.

Linhas de apoio da Medicina alternativa

Buscam o equilíbrio físico e psíquico, por meio de tratamentos em que se aplicam técnicas não classificadas entre as práticas médicas convencionais. A medicina tradicional encara com reservas a maioria dessas terapias, com exceção da acupuntura e da fitoterapia e quiropatia, que são consideradas no Brasil “ato médico legal” pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Acupuntura na Medicina alternativa

Prática milenar chinesa. Atua por meio de estímulos em pontos específicos do corpo do paciente. Em geral, esses estímulos são feitos com agulhas especiais, mas também podem ser elétricos, térmicos, magnéticos, luminosos e químicos.

Medicina alternativa

Cada ponto está relacionado ao funcionamento de um órgão ou sistema. Baseia-se na ideia de que o universo é regido por forças opostas e complementares: yin e yang. A saúde é resultado do equilíbrio entre elas.

Calatonia, mais uma linha da Medicina alternativa

Terapia corporal desenvolvida na década de 40 pelo psicoterapeuta Pethor Sandor (húngaro radicado no Brasil). Seu método se constitui em toques suaves com as mãos sobre o corpo do paciente.

Fitoterapia e a Medicina alternativa

Apoiada nos princípios ativos presentes em algumas plantas, recorre ao uso de chás, infusões, unguentos e xaropes de folhas, raízes e flores, para o restabelecimento da saúde ou prevenção de doenças. Alguns centros de pesquisa do país já descobriram propriedades farmacológicas e clínicas em várias plantas adotadas como remédio pela população.

Florais de Bach e a Medicina alternativa

Essências de 38 flores diluídas em conhaque, desenvolvidas pelo médico inglês Edward Bach, na década de 30, às quais se atribuem propriedades curativas. Têm como pressuposto que as plantas possuem vibração energética, que podem tratar de problemas como depressão, insônia, ansiedade e medo.

Quiropatia: Medicina alternativa

Do grego quiro, mão, quer dizer “praticado com as mãos”. Técnica desenvolvida há cem anos pelo médico norte-americano David D. Palmer e que consiste em liberar nervos através da manipulação precisa da linkblack. Através dessa prática é possível aliviar dores de linkblack e também vários outros males que aparentemente não estão ligados à linkblack, como enxaqueca, gastrite e até certos tipos de surdez.

Perguntas mais frequentes sobre a medicina alternativa.

Quais são os tipos de medicina alternativas?

Existem diversas formas de medicina alternativa, mas dentre as mais populares estão a acupuntura, arte terapia, fitoterapia, homeopatia, quiropraxia e reiki.

Como se dá o funcionamento da medicina alternativa?

A prática consiste em terapias alternativas aos tratamentos tradicionais, podendo ser feita de forma medicamentosa ou não.

Como a medicina alternativa surgiu?

A medicina alternativa surgiu através de Hipócrates na Grécia.

Qual a diferença entre medicina convencional e medicina alternativa?

A medicina convencional ou tradicional faz uso de medicamentos para combater doenças seguindo a tipologia dos sintomas. Já a medicina alternativa substitui o tratamento convencional, ou seja, não atua como forma complementar.

Quais são os riscos da medicina alternativa?

Um dos lados negativos da prática é a possibilidade do efeito placebo, isto é, a crença do paciente sobre a cura daquela doença se faz presente. Além disso, não é uma modalidade que possui comprovação científica.

Referências bibliográficas sobre as linhas terapêuticas da medicina

  • SANTOS FILHO, Lycurgo. Pequena História da medicina brasileira . São Paulo: DESA, 1966.
  • BERNARD, Jean. Esperanças e sabedoria da medicina . São Paulo: Ed. da UNESP, (1998).
  • SOURNIA, Jean-Charles. História da medicina . (Lisboa): Instituto Piaget, c1992.
  • FRIEDMAN, Meyer; FRIEDLAND, Gerald W. As dez maiores descobertas da medicina . São Paulo: Companhia Das Letras, c1999.
  • FOUCAULT, Michel. O nascimento da clínica . 2.ed. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1980.

Gostou de saber mais sobre a medicina alternativa?

Se você gostou de saber sobre o funcionamento da medicina alternativa, aproveite para ler nossos outros textos sobre temas diversos. Separei um especialmente para você: Exercícios de alfabetização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTEÚDO RELACIONADO

Este é um site do grupo B20