7 Reinos de Hyrule: Zelda ganha abertura ao estilo de Game of Thrones

Vamos falar sobre a nova abertura do zelda, começando com esse grande sucesso da atualidade na TV, Game of Thrones tem uma porção de ingredientes que fazem com que a série se destaque:

personagens carismáticos, violência na medida certa, cenas de sexo e uma ambientação fantástico.

Esse universo criado por George R. R. Martin fica marcado na mente do público por conta da abertura épica do seriado, que mostra os reinos de Westeros sendo erguidos pouco a pouco.

zelda

Então, que tal mesclar essa parte da produção com um mundo icônico dos games? O escolhido para a empreitada só poderia ser um: Hyrule.

Franquia Zelda e detalhes

A franquia Zelda é conhecida mundialmente e, em suas décadas de existência, provou que um mundo de fantasia, com elfos, fadas e árvores falantes, ainda pode conquistar jogadores e manter sua importância no mercado.

Porém, para muitos fãs de longa data da série da Nintendo, a aventura protagonizada por Link no Super NES ganhou um lugar especial em seus corações. Esse parece ser exatamente o caso do youtuber Megasteakman, que utilizou uma produção similar à da HBO para homenagear o mapa de The Legend of Zelda: A Link to the Past.

7 reinos de hyrule: zelda ganha abertura ao estilo de game of thrones

Dá vontade de jogar novamente o game só de olhar para essa imagem.

O resultado é belíssimo, com cada detalhe do mundo de Hyrule surgindo progressivamente aos olhos do espectador.

Um panorama geral ativa instantaneamente a nostalgia de qualquer um que tenha experimentado pelo menos algumas horas do clássico título para a plataforma 16 bits da Big N ou, pelo menos, curtido The Legend of Zelda: A Link Between Worlds, para 3DS – que se passa no mesmo universo.

A partir daí, o voo da câmera faz uma viagem pelos cantos mais conhecidos do game, fazendo com que você se lembre da saga criada ali.

Muros são erguidos, moitas e cercas se posicionam no cenário e vila nascem do solo, com suas casas prontas para receber um visitante bastante inusitado – pronto para quebrar qualquer peça de cerâmica no local.

Para chegar ao resultado exibido no curto clipe, todo o ambiente, os itens, as construções e as modelagens em geral foram feitos no Cinema 4D, utilizando a engine de renderização Octane – visando uma atmosfera semelhante à da abertura de Game of Thrones. A bela música de Mattia Cupelli complementa o clima da produção.

Apesar do trabalho praticamente perfeito dos envolvidos em Game of Hyrule, só o Light World do jogo é mostrado, fazendo com que ficássemos na expectativa por dar uma olhadinha também no Dark World.

Nós aprovaríamos, ainda, uma tomada da região na qual a Master Sword está cravada na pedra e um easter egg simples com uma revoada das temidas galinhas – não mexa com elas, sério.

Jogabilidade

O primeiro jogo da série combina quebra-cabeças, ação / aventura, exploração e RPG. Esses elementos permaneceram os mesmos ao longo da série, mas foram aprimorados e adicionados a cada novo jogo.

Os jogos de visibilidade 3D da série também incluem jogos furtivos, nos quais os jogadores devem evitar certos inimigos ao continuar no palco, bem como elementos de corrida e equitação.

Os jogadores geralmente recebem recompensas por itens úteis ou habilidades aprimoradas para resolver quebra-cabeças ou explorar áreas ocultas.

Algumas coisas são recorrentes e frequentemente aparecem na forma de bombas e flores de bomba ao longo da série. Os dardos podem matar ou paralisar os inimigos; chaves de fechadura; espadas, escudos, arcos e flechas e outros itens são exclusivos de um único jogo.

Embora o jogo contenha muitos elementos de RPG (“The Legend of Zelda II: Serial Adventure” é o único elemento que inclui um sistema de experiência), os desenvolvedores enfatizam a conquista direta e a luta de corte em vez de luta estratégica, por turnos ou em tempo ativo. Séries como “Final Fantasy”.

Esse tipo de RPG têm gerado polêmica quanto ao tipo de franquia de jogo, independente de se poder ser classificado como um jogo de RPG de ação, a série tem forte influência nele.

Crítica

A série “Legend of Zelda” é muito elogiada pela crítica e pelo público. “The Ocarina of Time”, “Windrunner”, “Sword in the Sky” e “Breath of the Wild” receberam uma pontuação completa de 40/40 da revista japonesa “Famitsu” (dez comentários) O juiz da casa é a pontuação total).

Série com múltiplas pontuações perfeitas. “Ocarina of Time” foi listado como o videogame mais bem avaliado da história pelo Guinness Book of World Records, com uma pontuação do Metacritic de 99 (em 100).

E você deu falta de alguma coisa importante na viagem aérea feita pelo mundo de A Link to the Past? Deixe sua opinião mais abaixo, na seção de comentários.

Perguntas frequentes

Quando foi lançado o primeiro the Legend of Zelda ?

21 de fevereiro de 1986

Qual é o último e qual a data do último jogo de zelda?

The Legend of Zelda: Link’s Awakeningu003cbru003e20 de setembro de 2019

Quem foi a desenvolvedora de Zelda?

Nintendo Entertainment Analysis u0026amp; Developmentu003cbru003eFlagshipu003cbru003eGrezzo

Para mais informações sobre games acesse nosso site clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTEÚDO RELACIONADO

Este é um site do grupo B20